Última hora

Última hora

Kosovo e Sérvia falham acordo mediado pela UE

Em leitura:

Kosovo e Sérvia falham acordo mediado pela UE

Tamanho do texto Aa Aa

As negociações entre o Kosovo e a Sérvia mediadas pela União Europeia voltaram a falhar. Após 14 horas de reunião, esta terça-feira em Bruxelas, não houve acordo.
A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton afirmou mesmo que esta foi a última vez que as duas partes se reuniram formalmente com o “patrocínio” da União Europeia.
Para tentar perceber o porquê deste falhanço das negociações, a euronews entrevistou Simon Rico, redator chefe-adjunto do Courier des Balkans e especialista sobre a região.

Rudolf Herbert, euronews:
Porque é que a Sérvia e o Kosovo não chegaram a um acordo?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
O Kosovo e a Sérvia têm posições totalmente antagónicas: a Sérvia não reconhece a independência do Kosovo, declarada unilateralmente a 17 de fevereiro de 2008. De acordo com a constituição sérvia, o Kosovo continua a fazer parte do seu território. A União Europeia pede à Sérvia que dialogue, mas o Kosovo e a Sérvia não falam da mesma coisa.

Rudolf Herbert, Euronews:
Este é um falhanço de Bruxelas?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
Na realidade o falhanço não é para o Kosovo ou para a Sérvia, qie depois de 14 horas de negociações deixaram aberta a possibilidade de continuar a dialogar. É sobretudo um falhanço para Catherine Ashton, que disse que as negociações não iriam prosseguir por agora.

Rudolf Herbert, Euronews:
Mas deve Bruxelas pressionar ainda mais?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
É aqui que percebemos que Bruxelas não conseguiu colocar pressão sobre o Kosovo ea Sérvia. Ou então, talvez a UE deveria ter pressionado mais, mas quais são os seus meios de pressão? Acho que esse é o problema.

Rudolf Herbert, Euronews:
Por que razão a Sérvia não aceita a reconhecer a independência do Kosovo?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
A União Europeia pede algo de inconcebível para Sérvia: que renuncie ao Kosovo para conseguir a adesão europeia. Mas por enquanto Belgrado é incapaz de escolher entre esses dois pontos.

Rudolf Herbert, Euronews:
Para entender melhor o conflito entre a minoria sérvia no Kosovo e a maioria dos kosovares, porque é que a minoria sérvia se recusou a ser integrada no Estado do Kosovo?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
Lembremo-nos que em 1989 o antigo líder sérvio Slobodan Milosevic prometeu à minoria sérvia no Kosovo que não deixaria que ela fosse espancada por albaneses. Esse foi o ponto de partida de 10 anos de violência no Kosovo e que terminaram com a guerra em 1998-1999. Hoje existe uma ruptura entre a minoria sérvia que vive no extremo norte do Kosovo e o resto do Kosovo, composto quase na totalidade por albaneses. Para os sérvios no norte do Kosovo, o território deve ser anexado à Sérvia e não a Pristina.

Rudolf Herbert, Euronews:
Última questão. Porque é que a Europa se deve envolver nos Balcãs?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
O que podemos dizer hoje é que a União Europeia se deve envolver mais nos Balcãs, mas infelizmente, a sua influência é cada vez menos importante e há quem esteja a tentar tomar o seu lugar. É o caso dos Estados Unidos, ainda que tenham demonstraram vontade de não se envolver, mas sobretudo, o Fundo Monetário Internacional que tem avançado com vários planos de ajuda na Bósnia, Bulgária, na Sérvia e na Roménia, todos países da região que estão numa crise terrível.