Última hora

Última hora

Espanha: Infanta Cristina constituída arguida no caso Nóos.

Em leitura:

Espanha: Infanta Cristina constituída arguida no caso Nóos.

Tamanho do texto Aa Aa

A procuradoria anticorrupção espanhola vai recorrer da declaração como arguida da infanta Cristina, filha do rei Juan Carlos de Espanha, feita por ofício do juiz José Castro.

A Casa Real manifestou o seu “máximo respeito” pela decisão judicial de nomear a princesa como suspeita num caso de corrupção que envolve o marido, Iñaki Urdangarin, mas também “quis expressar a surpresa pela mudança da posição” do juiz, que em março de 2012 declinou nomear a infanta como suspeita no caso.

“O que o Partido Socialista tem a dizer é que respeita a decisão do juiz Castro, tal como qualquer outra decisão da justiça. Em Espanha a lei a é mesma para todos”; disse o líder socialista Alfredo Pérez Rubalcaba.

Cristina de Bórbon seria ouvida na qualidade de coproprietária da empresa Aizóon e de dirigente da Fundação Nóos, num processo que envolve a alegada apropriação de fundos públicos.

“Pensava que não a constituiriam arguida porque é a Infanta, mas se é culpada tem de assumir as consequências”, disse uma cidadã.

“É lógico, não é? Devido à relação que tem com Urdangarin, é lógico que seja arguida”, afirmou um outro.

No dia 23 de fevereiro, em tribunal, Iñaki Urdangarin negou que a sua mulher tivesse qualquer relação com os negócios do Instituto Nóos, desmentindo também o envolvimento da Casa Real.