Última hora

Última hora

Sul-coreanos abandonam Coreia do Norte, embaixadas convidadas a deixar Pyongyang

Em leitura:

Sul-coreanos abandonam Coreia do Norte, embaixadas convidadas a deixar Pyongyang

Tamanho do texto Aa Aa

A calma aparente na fronteira entre as duas Coreias esconde uma tensão crescente devido às ameaças de guerra de Pyongyang. Os trabalhadores sul-coreanos do complexo industrial de Kaesong, na Coreia do Norte, continuam a abandonar os postos de trabalho para regressar a casa. Pyongyang bloqueou o acesso à fábrica, um dos poucos símbolos ainda existentes da cooperação entre os dois países.

Han Nam-Il, de 67 anos, trabalha na Kaesong e explica que “a cafetaria já não serve refeições porque deixou de haver comida. Temos vindo a dividir os alimentos que trazemos. Podemos aguentar mais dois ou três dias, mas mais não.”

Apesar da tensão muitos turistas continuam a visitar a chamada torre de observação da unificação na Coreia do Sul junto à fronteira com o norte, que permite ver os territórios do país vizinho e a zona desmilitarizada. Os visitantes não escondem uma certa angústia.

“Sinto-me extremamente ansiosa, mas nada é claro sobre como é que as coisas vão evoluir. Estou muito preocupada e os meus filhos também”, afirma Kim Byeong-Seok, de visita à torre.

Quem também deve estar preocupado são os membros das representações diplomáticas na Coreia do Norte. Kim Jong-Un aconselhou os corpos diplomáticos estrangeiros a abandonarem o país e garantiu que devido ao aumento da tensão na península, a partir do dia 10 de abril, a segurança das embaixadas não poderá ser assegurada.