Última hora

Última hora

França: ministro dos Negócios Estrangeiros nega possuir conta em paraíso fiscal

Em leitura:

França: ministro dos Negócios Estrangeiros nega possuir conta em paraíso fiscal

Tamanho do texto Aa Aa

A evasão fiscal confessa do ex-ministro do Orçamento francês continua a abalar o atual governo, acusado de ter estado ao corrente da situação.

Uma notícia avançada, este domingo, pela televisão pública suíça revela que Jerome Cahuzac, depois de ter negado ter uma conta na Suíça, poderá continuar a mentir sobre o montante depositado em paraísos fiscais.

O canal TSR afirma que Cahuzac, em 2009, teria tentado movimentar 15 milhões de euros de uma conta suíça para uma conta em Singapura. O político, constituído arguido por “branqueamento de fuga ao fisco”, tinha até agora admitido possuir apenas 600 mil euros numa conta bancária suíça.

Segundo o apresentador do noticiário do canal, Darius Rochebin, “quando Cahuzac tentou sair do banco UBS, visitou vários bancos privados, para tentar transferir uma soma de cerca de 15 milhões de euros. Uma coisa é certa, este é um valor mais apropriado para investir em Singapura, muito mais do que os 600 mil euros conhecidos até hoje. Este tipo de investimento está acessível apenas a quem tenha 2 ou 3 milhões de euros, no mínimo, e isto mostra a escala deste tipo de operações”.

E enquanto o governo prepara um arsenal legal para lutar contra os conflitos de interesses e reforçar a troca de informações bancárias na União Europeia, um novo escândalo paira sobre Paris.

Segundo o jornal Liberation desta segunda-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Laurent Fabius poderia ser igualmente detentor de uma conta não declarada num paraíso fiscal.

O periódico cita uma alegada “pista” investigada pelo sítio internet Mediapart (que revelou o escândalo Cahuzac), e que inquieta o presidente francês, sem no entanto avançar mais detalhes sobre a informação. Uma alegação que não foi confirmada pelos jornalistas do Mediapart e que foi vivamente rejeitada por Fabius que ameaça abrir um processo por difamação contra o jornal Liberation.