Última hora

Última hora

Kiev indulta dois ex-ministros de Iulia Timoshenko

Em leitura:

Kiev indulta dois ex-ministros de Iulia Timoshenko

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente ucraniano, Viktor Yanukovitch, ensaia um tímido gesto de reconciliação com a União Europeia, depois de indultar cinco personalidades da oposição, entre as quais, dois antigos ministros do governo de Iulia Timoshenko.

Uma amnistia, justificada por “razões humanitárias”, face ao frágil estado de saúde dos ex-ministros do Interior (Yuri Lutsenko) e ecologia (Heorhiy Filipchuck) e figuras de proa da chamada “revolução laranja” de 2004, condenados à prisão por abuso de poder e desvio de fundos.

À sua saída da cadeia, Iuri Lutsenko, apelou à demissão do presidente Ianukovitch. O irmão do ex-ministro do Interior afirma:

“Vamos apresentar uma queixa junto do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem para contestar a pena de prisão, a detenção e todas as acusações contra o meu irmão, de forma a provar que nunca cometeu nenhum crime”, afirma Serhiy Lutsenko.

O comissário europeu para o alargamento, S. Fulle, saudou a decisão de Kiev como “um primeiro passo para pôr fim à justiça seletiva”, que levou vários membros da oposição a serem detidos e condenados nos últimos meses.

O decreto presidencial relativo à amnistia coincide com um protesto da oposição, na capital, para exigir a libertação da ex-primeira-ministra Iulia Timoshenko.

Um caso, condenado por Bruxelas e que atualmente bloqueia a assinatura de um acordo de associação entre Kiev e a União Europeia.