Última hora

Última hora

Venezuela: campanha eleitoral esteve marcada pelas emoções

Em leitura:

Venezuela: campanha eleitoral esteve marcada pelas emoções

Tamanho do texto Aa Aa

O boxe é desporto rei na Venezuela. Nas últimas semanas, o espírito combativo dos venezuelanos transferiu-se de eventos desportivos como este, para a arena política.

Seja no campo do sucessor anunciado de Hugo Chávez e favorito, Nicolas Maduro, seja no campo do rival, Henrique Capriles, os apoiantes têm vivido com grande intensidade o combate pela liderança do país.

Adolfo Salgueiro, colunista do jornal “El Universal”, diz que “a confrontação virulenta posta em cena nas eleições venezuelanas é reforçada pela incompatibilidade total dos programas apresentados”.

A campanha eleitoral mais curta da história da Venezuela ficou marcada pelas declarações emotivas dos candidatos.

Capriles: “Só o diabo é capaz de usar o poder para intimidar os venezuelanos”.

Maduro: “O imperialismo e a burguesia decadente e parasitária da Venezuela pensam que a revolução acabou [com a morte de Chávez]”.

A figura emblemática do falecido líder esteve omnipresente durante toda a campanha. Para a formação governante, o culto de Chávez é a chave do sucesso para as eleições deste domingo.

Apesar da desvantagem nas sondagens, a oposição não desanima e acredita que a falta de carisma de Maduro pode jogar a seu favor.

O correspondente da euronews, Pablo Herrera, afirma que “seja quem for o vencedor, o consenso na Venezuela é que lhe espera um período difícil, durante o qual o presidente eleito deverá enfrentar importantes desafios, que começarão assim que for conhecido o resultado das eleições”.