Última hora

Última hora

«Génesis» de Sebastião Salgado em Londres

Em leitura:

«Génesis» de Sebastião Salgado em Londres

Tamanho do texto Aa Aa

Sebastião Salgado, fotógrafo brasileiro, está de volta com «Génesis». Imagens de uma realidade impressionante em exposição no Museu de História Natural de Londres.

O resultado de oito anos de trabalho, em 32 países, traz-nos uma outra realidade. O mestre da fotografia pôs de lado o documentário social e partiu em busca de lugares que a mão humana não tocou.

“Salgado é reconhecido, como fotógrafo, em especial de pessoas, a nível mundial. Em «Génesis» – pela primeira vez – ele vira a sua lente, em particular, para o ambiente natural. Esta exposição tem paisagens, animais e mostra a forma como as pessoas, que vivem em ambientes virgem, interagem com eles sem que isso tenha um impacto negativo”, explica Tate Greenhalgh, representante do museu.

Do deserto do Saara à floresta tropical do Brasil, Sebastião Salgado presta tributo à natureza. Sempre a preto e branco.

“Vivi oito anos em lugares que não eram os mais acessíveis mas, provavelmente, tive um grande privilégio por estar nesses locais – estou a voltar do paraíso…. Isto representa o que há de mais puro no nosso planeta e eu acredito que há uma mensagem muito positiva, ou seja, que ainda temos 46 por cento do planeta que se mantém como na Génesis”, afirma Sebastião Salgado.

A «Génesis», de Sebastião Salgado, pretende consciencializar as sociedades para a importância de preservar estes tesouros intocados da natureza.

“A minha esperança é que, juntos, tendo como base a incrível quantidade de informações que temos hoje, comecemos a tomar consciência do nosso sistema ecológico que devemos preservar. A consciência de que estas imagens não são arqueologia, são uma representação de zonas do planeta que devem existir para sempre. Precisamos que existam para sempre”, desabafa o fotógrafo.

«Génesis» pode ser visitada em Londres até setembro, depois passa por cidades como Toronto, Rio de Janeiro, Roma e Paris.