Última hora

Última hora

O pesado legado do chavismo

Em leitura:

O pesado legado do chavismo

Tamanho do texto Aa Aa

A vitórida de Nicolás Maduro é vista como uma continuação do chavismo cuja força ainda anima milhões de venezuelanos em todo o país.

Apresentada como socialismo para o século XXI, a política de Hugo Chávez criou um elo emocional com os seus apoiantes mas o futuro do país parece incerto.

“O chavismo sem Chávez, com Maduro como presidente, poderá ele sobreviver? Tenho dúvidas, pelo menos na forma como o chavismo é definido hoje em dia”.

Assim, a tese de articular as propostas elaboradas por Chávez, exige um acordo, segundo os especialistas. E isso passa pela atração de capital para o país”.

Luisa Romero, ex-embaixadora da Venezuela na UE defende: “O modelo, como tem vindo a operar nos últimos 14 anos desde a vitória do candidato oficial, vai cair diretamente.

Por outro lado, não se espera que o herdeiro de Hugo Chávez posa fazer grandes mudanças na política externa venezuelana.

Wladimir Ruiz Tirado, membro do governo de Hugo Chávez:

“Passada como dizem, a eleição turbilhão, é claro que é preciso ter a cabeça fria para fortalecer as políticas que herdamos do presidente Chávez e criar outras que têm de ser criadas”.

O correspondente da Euronews em Caracas diz:

“ Nicolás Maduro têm a pressão da memória, ainda fresca do meu mentor e ainda todos o problemas de uma recuperação económica, da segurança pública com assuntos mais urgentes. Maduro deve mostrar que a chamada revolução bolivariana se enraizou e tem vida para além Hugo Chávez.