Última hora

Última hora

"The Lost" de Philip Glass no Musiktheater Linz

Em leitura:

"The Lost" de Philip Glass no Musiktheater Linz

Tamanho do texto Aa Aa

Vida, morte, fama, sorte, alegria, lágrimas. Tudo em vão. Sentimentos contados vezes sem conta na literatura, música e dança.

A nova ópera de Philip Glass, “The Lost”, recupera e combina todos estes sentimentos numa mistura que, de alguma forma, nos transporta para o imaginário de Samuel Becket e Fritz Lang.

“The Lost” foi escrita para estrear na Áustria.

“Eu gosto de trabalhar na Alemanha e na Áustria, porque os músicos são muito bons. É disso que gosto. Eu pensava que a orquestra americana seria a minha verdadeira casa, mas não é. Posso sentir-me confortável mas descobri que há outro elemento, outro tipo de música que se consegue numa orquestra da Europa Central”, explica o compositor.

Uma ópera soturna, cavernosa, complexa, que subiu ao palco do recém-construído Musiktheater Linz, na Áustria. A nova casa da ópera custou 180 milhões de euros e conta com um gigantesco palco giratório.