Última hora

Última hora

Funcionários sul-coreanos na Coreia do Norte com escassez de mantimentos

Em leitura:

Funcionários sul-coreanos na Coreia do Norte com escassez de mantimentos

Tamanho do texto Aa Aa

Apenas um cabo de eletricidade e uma linha telefónica ligam à Coreia do Sul cerca de 200 funcionários sul-coreanos no complexo industrial de Kaesong na Coreia do Norte.

A tensão política e militar entre as duas Coreias levou Pyongyang a retirar 53 mil trabalhadores. Os poucos sul-coreanos que ficaram para tomar conta dos seus interesses estão agora numa situação complicada, com poucos mantimentos

“Espero que o problema possa ser resolvido tranquilamente. Todos os trabalhadores estão agora a sofrer. Espero que não tenham de sofrer mais”, diz um sul-coreano que deixou o norte, recentemente.

O complexo industrial de Kaesong fica em território norte-coreano, muito próximo da zona desmilitarizada.

Pyongyang não autoriza que sejam enviados mantimentos aos funcionários sul-coreanos que lá permanecem.

“O nosso governo considera lamentável que o norte tenha rejeitado o nosso pedido para as empresas e por razões médicas”, declara o porta-voz do ministro sul-coreano da reunificação, Kim Hyung-Suk.

A cooperativa de Kaesong foi aberta em 2004 ao abrigo de uma política de empenho e otimismo dos dois lados que ficou conhecida como “brilho do sol”.