Última hora

Última hora

Impasse entre Sérvia e Kosovo mina confiança da UE

Em leitura:

Impasse entre Sérvia e Kosovo mina confiança da UE

Tamanho do texto Aa Aa

Sérvia e Kosovo não devem continuar a desperdiçar oportunidades para chegarem a um entendimento, porque isso atrasa a eventual adesão de ambos à União Europeia.

A mensagem dos eurodeputados, durante um voto sobre o progresso das reformas nestes países da ex-Jugoslávia, seguiu-se ao falhanço de mais uma ronda negocial, em Bruxelas, na quarta-feira, mediada pela Alta Representante da UE para a Política Externa, Catherina Ashton.

O primeiro-ministro do Kosovo, Hashim Thaçi, disse que “a proposta da Baronesa Ashton é clara, e nós aceitámo-la sem pedir quaisquer alterações. Como aconteceu nas reuniões anteriores, a Sérvia voltou hoje a recusá-la”.

Mas o chefe do Governo da Sérvia também culpou o outro lado por não ter sido possível um acordo após 14 horas de negociação.

“É óbvio que o governo de Pristina ainda não está pronto para chegar a um acordo e colocou vários obstáculos durante as negociações. Chegou mesmo a ameaçar resolver o problema no norte do Kosovo por outras vias”, disse Ivica Dačić.

O primeiro-ministro sérvio refere-se à região em torno da cidade de Mitrovica, com uma minoria de 50 mil sérvios e para a qual exige autonomia.

Mas continua sem reconhecer o estatuto de Estado ao Kosovo, sua ex-província que se declarou independente em 2008 e habitada em 90% por membros da etnia albanesa.

O arranque formal das negociações de adesão da Sérvia à União Europeia depende de um acordo entre as duas partes.

A Alta Representante da UE para a Política Externa, Catherine Ashton, deverá apresentar um relatório sobre a situação, na próxima segunda-feira, aos ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27 estados-membros.

Antes da negociação trilateral, Ashton apelou às partes para “criarem um espírito construtivo” e estarem “prontos a explorar diferentes opções e a chegar a acordo sobre um compromisso mútuo”.