Última hora

Última hora

Alemanha: Escândalo atinge presidente do Bayern e desilude Merkel

Em leitura:

Alemanha: Escândalo atinge presidente do Bayern e desilude Merkel

Tamanho do texto Aa Aa

É o escândalo do momento na Alemanha, envolve o presidente do Bayern de Munique e já chegou, inclusive, a Angela Merkel, que ficou desapontada. O caso rebentou poucos dias antes de os bávaros defrontarem na Liga dos Campeões o Barcelona (terça-feira), um dos clubes que o mesmo Uli Hoeness acusou recentemente de não respeitar o fair play financeiro da UEFA, que impede clubes com dívidas de competir nas provas europeias e já condenou os espanhóis do Málaga para a próxima temporada.

Afinal, mesmo com tanto zelo em relação à UEFA, é o próprio Hoeness que não respeita as regras tributárias da Alemanha. O presidente do já virtual campeão da Bundesliga e um dos mais saudáveis clubes do Mundo admitiu à justiça germânica ter omitido na Suíça, alegadamente através de uma das contas da fábrica de salsichas que detém há mais de 25 anos, uma quantia não revelada, mas que que o jornal alemão Bild diz rondar os 20 milhões de euros.

Sem revelar muitos dados sobre o caso, um porta-voz do Ministério Público alemão, confirmou que “a procuradoria de Munique está a conduzir uma investigação preliminar às suspeitas de evasão fiscal de Uli Hoeness”. “O processo surgiu após denúncia em janeiro pelo próprio, que confessou uma falha tributária. Em análise, está, sobretudo, a sinceridade de Hoeness ao revelar esta falha”, afirmou Ken Heidenreich.

A grande questão para a justiça alemão é agora perceber exatamente se Hoeness abriu o jogo apenas porque quis fazer o correto ou, pior, porque sabia que estava a ser investigado e tinha medo que a polemica conta na Suiça fosse descoberta. Se a honestidade de Hoeness for considerada sincera, o antigo futebolista e agora dirigente e dono de uma salsicharia incorre numa pena mais leve, de acordo com a legislação alemã que preza o “mea culpa.”

O caso, contudo, embora ainda sob investigação, já chegou aos mais altos responsáveis alemães. A chanceler Angela Merkel fez saber esta segunda-feira, através de um porta-voz, estar desapontada com o que terá descrito no seu círculo mais próximo como uma “triste figura” de Uli Hoeness.

Segundo avança o Bild, caso a honestidade da auto denúncia de Hoeness não se confirme, o presidente do Bayern incorre numa pena de prisão efetiva prevista para fraudes fiscais superiores a um milhão de euros. Hoeness já terá, por fim, entregue cerca de 10 milhões euros ao fisco alemão a reboque da citada auto denúnca. A investigaçao prossegue.