Última hora

Última hora

Damas de Branco recebem Prémio Sakharov com 8 anos de atraso

Em leitura:

Damas de Branco recebem Prémio Sakharov com 8 anos de atraso

Tamanho do texto Aa Aa

As Damas de Branco foram escolhidas pelo Parlamento Europeu para receberem o Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento em 2005. Mas só oito anos depois, esta terça-feira, é que o grupo de mulheres que luta pela democracia em Cuba pode deslocar-se a Bruxelas para receber o galardão. O regime comunista dos irmãos Castro tinha impedido até agora a saída da ilha.

Todos os domingos, na Igreja de Santa Rita, em Havana, capital de Cuba, mulheres vestidas de branco reúnem-se para rezar em nome da libertação dos presos políticos, muitos deles membros da família.

O movimento das Damas de Branco formou-se na chamada “Primavera Negra” de 2003, quando o regime mandou prender 75 dissidentes políticos, entre os quais intelectuais, jornalistas e médicos. Penas de prisão entre 15 a 28 anos foram aplicadas por atentado contra a segurança do Estado.

Nos últimos anos, alguns presos foram libertados, tendo parte seguido para o exílio, mas ainda restam mais de uma dezena do grupo original. Entretanto, outros dissidentes foram detidos pelo mesmo motivo.

  • O Prémio Sakharov tem como objetivo galardoar pessoas de exceção que se notabilizaram pelo combate à intolerância, fanatismo e opressão e os vencedores do prémio devem ter “mostrado quanta coragem é precisa para defender os direitos humanos e a liberdade de expressão”.
  • O prémio foi criado em 1988 pelo Parlamento Europeu. Juntamente com o troféu, é atribuído um prémio monetário de 50 mil euros.
  • Os nomeados são selecionados pelos deputados do Parlamento Europeu e uma lista de três finalistas é apresentada pelos Comités dos Negócios Estrangeiros e do Desenvolvimento. Depois, a Conferência dos Presidentes escolhe o laureado.
  • Andreï Sakharov (1921-1989) foi um cientista nuclear soviético, o pai da bomba de hidrogénio. Preocupado com o resultado do seu trabalho para o futuro da humanidade, dedicou-se a impedir a corrida ao armamento nuclear. Desempenhou um papel importante em 1963 no Tratado de Proibição Parcial dos Testes Nucleares e, mais tarde fundou um comité de defesa dos direitos humanos e das vítimas dos tribunais políticos na União Soviética. Em 1975 recebeu o Prémio Nobel da Paz pelo reconhecimento dos seus esforços.
  • Entre os mais famosos galardoados estão: Nelson Mandela (1988), As Mães da Praça de Maio (1992), As Nações Unidas (2003), Repórteres Sem Fronteiras (2005), Nasrin Sotoudeh (2012).

A correspondente da euronews em Bruxelas, Sara Blanco, entrevistou Berta Soler, uma das fundadoras das Damas de Branco que, com outros quatro elementos, veio a Bruxelas receber, finalmente, o Prémio Andrei Sakharov.

“Há ainda centenas de pessoas presas por razões políticas. Não temos números exatos, mas há centenas de pessoas. Uma delas é uma Dama de Branco, Sonia Garro, que está detida há um ano e dois meses, sem julgamento, tal como seu marido, e cuja filha de 16 anos está agora sem amparo dos pais. Neste momento, os presos vivem em condições desumanas, em celas superlotadas que partilham com violadores, assassinos e traficantes de droga. A comida que lhes dão é igual à dos porcos. Fazem-no de propóstio, para que os presos a rejeitem e os guardas a possam levar para engordar os porcos”, foi um das descrições que fez da situação atual em Cuba.

(Veja em vídeo a entrevista na íntegra)