Última hora

Última hora

Fabius: "Atacantes queriam matar" na embaixada francesa de Tripoli

Em leitura:

Fabius: "Atacantes queriam matar" na embaixada francesa de Tripoli

Tamanho do texto Aa Aa

O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, deslocou-se, esta terça-feira, a Tripoli, horas depois de um atentado bombista ter visado a embaixada do país na capital líbia.

A ação, que não foi reivindicada, feriu dois guardas da representação dipomática, destruíndo grande parte do edifício.

Trata-se do segundo ataque deste tipo desde a ação que vitimou o cônsul norte-americano em Bengasi, em setembro do ano passado.

“Os atacantes queriam matar. Um especialista disse-me que a bomba tinha 5 quilos de explosivos. Felizmente, por milagre, não havia trabalhadores no interior do edifício, senão poderia ter morto dezenas de pessoas”, afirmou Laurent Fabius.

O ataque, alegadamente com uma viatura armadilhada, levou as autoridades francesas e líbias a reforçarem a segurança na capital.

Os analistas vêm na ação um novo sinal da instabilidade na Líbia desde a queda do regime de Khaddafi, em 2011, e uma possível retaliação pela ofensiva francesa no Mali.