Última hora

Última hora

Itália: presidente acelera consultas para formar governo de coligação

Em leitura:

Itália: presidente acelera consultas para formar governo de coligação

Tamanho do texto Aa Aa

A Itália tenta pôr fim a dois meses de impasse pós-eleitoral, pela mão do presidente reeleito. Giorgio Napolitano iniciou, esta manhã, uma maratona de consultas para tentar formar um governo de união nacional, ainda esta semana.

O chefe de estado, que ameaçou demitir-se caso os partidos não cheguem a um acordo, reuniu-se esta manhã com os presidentes das duas câmaras do parlamento, antes de receber os responsáveis de todos os partidos políticos até ao final do dia.

Em cima da mesa, está a possibilidade do presidente nomear um primeiro-ministro e mesmo alguns membros de um governo de coligação que deverá pôr em prática o programa idealizado, nas últimas semanas, por uma comissão de dez sábios.

Os três principais partidos do país rejeitavam até agora qualquer acordo para ultrapassar o bloqueio institucional no país, entre um senado controlado pela direita e um parlamento onde a esquerda é maioritária.

A adensar o clima de incerteza, encontra-se a crise na formação mais votada das eleições de fevereiro, o Partido Democrático (PD), depois da demissão do líder Pier Luigi Bersani, contrário a uma aliança com Berlusconi.

As atenções viram-se agora para o jovem presidente da câmara de Florença, Matteo Renzi, que poderia assumir o cargo de primeiro-ministro, uma hipótese considerada pelo próprio como “improvável”.

Outros dois políticos de centro-esquerda são apontados como prováveis candidatos ao cargo, Giuliano Amato, antigo primeiro-ministro e o atual número dois do PD, Enrico Letta.