Última hora

Última hora

Em leitura:

O som e o eco grego


Cultura

O som e o eco grego

A instalação “Silent Space Stand Still” trouxe uma combinação de som e arte para o centro de Atenas. A vibração sonora tomou conta de uma antiga mesquita na capital grega, agora a casa do Museu de Arte Popular. Desde o final de março, quatro artistas abrem a sua semana de residência, com uma apresentação ao vivo.

Sofia Tournikioti-Curator, Curadora da exposição: “Entramos em contacto com o Ministério da Cultura da Grécia, e encontrei esta maravilhosa mesquita no centro de Atenas. Ninguém sabe realmente o que está aqui. Mas foi construída para refletir o som e tem tudo a ver com a nossa exposição.”

Tarek Atoui é um músico e um artista sonoro. Acima de uma das praças mais movimentadas de Atenas, ouve, reage, improvisa e executa em tempo real.

Tarek Atoui, Artista: “Assiste-se a uma performance de música electro acústica e eletrónica, que é lidar com a noção de instrumento. Esta noite, aqui em Atenas, é uma nova versão do instrumento com uma estética completamente diferente de sons eletrónicos, sons gravados e amostras. Estamos a tentar que façam sentido.”

Esta é a primeira vez que uma instalação de som ocupa uma mesquita em Atenas.

Eleni Papathoma, Curador do Museu de Arte Popular Grega: “O edifício tinha uma curta vida enquanto mesquita. Foi o Museu de Arte Popular Grega desde 1918. Achamos que é excelente que os museus interajam com a arte e com o público, para se abrirem à música e ao som outra vez, porque este foi construído para isso.”

O novo trabalho de Turk Cevdet Erek, “Same to Different” é uma exploração dos elos que ligam as coisas.

Usa uma panóplia de objetos quotidianos relacionados com a história da mesquita, mas também da coleção de cerâmica grega moderna alojada no edifício.

Cevdet Erek, Artista: “É, sobretudo, uma improvisação. Temos vindo a trabalhar na criação de alguns materiais para esta improvisação. De forma física em relação à cúpula e aos anos em que era uma mesquita. Mas o Museu de Arte também é baseado aqui. Tenho tentado construir alguns objetos físicos, alguns temas para sons e ritmos.”

Assobios que fazem lembrar passarinhos, criam um redemoinho de som, que ecoa no espaço.

Maria Thalia Carras, Curadora “Silent Space Stand Still”: “É uma exposição organizada por uma instituição privada e sem fins lucrativos, a Locus Atenas. Simultaneamente é financiada novamente com fundos privados. Por isso, é um movimento muito importante de duas secções diferentes da sociedade grega, trabalhando juntas para criar algo inovador, abrindo um espaço público para uma secção diferente de pessoas.”

Cada artista desafia as barreiras da arte e do som durante uma semana. A exibição acontece em Atenas, até 27 de abril.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Um emprego de sonho nos dias que correm

generation-y

Um emprego de sonho nos dias que correm