Última hora

Alemanha: Beate Zschäpe invoca direito ao silêncio em tribunal

Em leitura:

Alemanha: Beate Zschäpe invoca direito ao silêncio em tribunal

Tamanho do texto Aa Aa

No tribunal de Munique, os cinco juizes vão tentar determinar o papel de Beate Zschäpe, de 38 anos, no grupo neo-nazi que formava com Uwe Bönhardt, de 34 e Uwe Mundlos, de 38 anos.

Os dois homens, autores presumíveis das mortes de nove imigrantes, suicidaram-se a 4 de Novembro de 2011, antes de serem capturados pela polícia, após um assalto que correu mal.

Quatro dias depois, Beate entrega-se às autoridades, mas antes deita fogo à casa que habitava, na esperança de fazer desaparecer as provas.

Entre os escombros foram encontradas as armas utilizadas nos diversos crimes atribuídos ao grupo, assim como um DVD onde eram identificados os locais dos crimes, num percurso que percorria todo o país.

O caso está marcado por vários escândalos à volta da investigação e revelou graves disfuncionamentos nos serviços da polícia e de informação do Estado.

No banco dos réus, Beate será acompanhada por mais quatro cumplices e, segundo os seus advogados, deverá invocar o direito a manter o silêncio durante o julgamento.