Última hora

Última hora

Finlândia e República Democrática do Congo: Do paraíso ao inferno da maternidade

Em leitura:

Finlândia e República Democrática do Congo: Do paraíso ao inferno da maternidade

Tamanho do texto Aa Aa

A Finlândia é o melhor lugar do mundo para ter filhos. O país lidera a classificação do estudo difundido pela organização “Save The Children”, seguido pela Suécia e Noruega.

Uma realidade bem diferente da República Democrática do Congo, que tem as piores condições:

“Uma mãe na Finlândia está no topo da lista, com uma boa educação, bons rendimentos e um risco muito baixo de morte no parto e grandes hipóteses de sobrevivência dos bebés. Uma mãe na República Democrática do Congo, o pior sítio do mundo, tem exatamente as condições inversas: uma alta taxa de mortalidade no parto e níveis de educação muito baixos para as mulheres. São os dois extremos da classificação”, refere Ishbel Matheson, porta-voz da “Save The Children”.

O relatório mostra que África é o pior continente para as mães e para as crianças e revela alguns dados surpreendentes:

Portugal surge na 13° posição entre os 179 países, logo a seguir à Suiça, à frente da França e bem distanciado do Reino Unido e dos Estados Unidos.

Curiosamente, segundo a organização, o estudo é baseado em critérios como: cuidados de saúde, educação, oportunidades económicas e na taxa de sobrevivência das crianças.