Última hora

Última hora

Moda Punk no MET

Em leitura:

Moda Punk no MET

Tamanho do texto Aa Aa

Tudo o que é Punk está no Metropolitan Museum of Art, em Nova York. A exposição deste ano dedicada ao vestuário: “Punk: Chaos to Couture” presta homenagem ao preto e ao estilo anarquista. O movimento punk começou no final dos anos 70, como uma reação contra o sistema e contra a música pop pré fabricada e foi ampliado nos anos 80 chegando a outras disciplinas criativas, como a moda.

Andrew Bolton, curador: “O punk tinha a ver com a celebração do indivíduo. Celebrar a criatividade e não ter medo de ser corajoso na auto-apresentação. E ser corajoso nas próprias declarações de moda. O punk tinha a ver com desafiar o status quo e desafiar o que entendemos como beleza. Creio que todos estes elementos tiveram um forte impacto na moda.”

Costuras rasgadas, cortes propositados, muitos alfinetes, algumas lâminas de barbear e cores de cabelo extravagantes foram algumas das marcas do punk.

A estilista britânica Zandra Rhodes foi uma das que abraçou esta nova tendência de liberdade no design.

Zandra Rhodes, estilista: “Porque é que um rasgo, um alfinete e um corrente não pode tão fabuloso como o usar de lantejoulas e cores? Então, para mim foi uma aventura, para o preto as correntes e os alfinetes. Claro que não posso dizer que foi um sucesso de vendas para o meu lado, no mercado da alta costura. Mas agora são peças de colecionador.”

A exposição preenche sete galerias e inclui homenagens à cena punk de New York e à contribuição de Londres para o movimento, especialmente a Malcolm McClaren e Vivienne Westwood. O Punk, desde o Caos até à Alta-Costura, até 14 de agosto, no MET.