Última hora

Última hora

Berlusconi acusa juízes de o quererem "eliminar"

Em leitura:

Berlusconi acusa juízes de o quererem "eliminar"

Tamanho do texto Aa Aa

Entre aplausos e assobios, Sílvio Berlusconi acusou os juízes de o quererem “eliminar” e reiterou o apoio ao governo de coligação dirigido por Enrico Letta. Afirmações do antigo primeiro-ministro italiano durante um comício do seu partido, o Povo da Liberdade, este sábado, em Brescia, no norte de Itália.

Numa semana em que o Tribunal de Milão confirmou a condenação de Berlusconi a quatro anos de prisão por fraude fiscal no caso Mediaset, o líder do centro-direita afirmou que o “sistema de justiça não garante a imparcialidade dos juízes e atropela muitas vezes o direito das pessoas à liberdade. Interfere com a vida política e quer eliminar-me”, acusou.

Antes e durante o comício registaram-se alguns momentos de grande tensão, com militantes de vários movimentos sociais, incluído do Movimento 5 Estrelas, de Beppe Grillo, a gritarem palavras de ordem como “para a prisão”, “vergonha” ou “ladrões” Um dos opositores de Berlusconi afirmou que “Sílvio foi condenado” e agora tem de usar a farda prisional. Os apoiantes do ex-primeiro ministro consideram que “a agressividade contra Sílvio Berlusconi não é justa” e que existem demasiados processos contra ele.

‘Il Cavaliere’ volta a sentar-se no banco dos réus já esta segunda-feira para continuar a responder no caso ‘Rubygate’ em que é acusado de ter pago a uma prostituta menor durante as festas “bunga-bunga” na sua mansão.