Última hora

Última hora

Brasil: tricotar para escapar às "malhas da lei"

Em leitura:

Brasil: tricotar para escapar às "malhas da lei"

Tamanho do texto Aa Aa

Um grupo de presidiários brasileiros tenta escapar às malhas da lei, com uma atividade original, o tricot.

Três dias de trabalho equivalem a menos um dia de pena, nesta prisão de Minas Gerais.

O projeto batizado “Flor de Lotus” e iniciado em 2009, associa uma marca de roupa a vários estabelecimentos prisionais.

Um ex-detido, hoje em liberdade condicional, confessa: “É um trabalho que aumenta a auto-estima dos prisioneiros e permite também abrir as portas do mercado de trabalho a todos”.

Ao fio dos dias, os cerca de 15 detidos recebem uma compensação mensal próxima do salário mínimo brasileiro.

Uma forma original de reinserção social, paralela a outras experiências nas cadeias brasileiras, como pedalar para recarregar baterias, fabricar casas de bonecas e mesmo lapidar pedras preciosas.