Última hora

Última hora

Espanha: ex-presidente do banco Caja Madrid libertado sob fiança de 2,5 milhões

Em leitura:

Espanha: ex-presidente do banco Caja Madrid libertado sob fiança de 2,5 milhões

Tamanho do texto Aa Aa

A justiça espanhola ordenou ontem a prisão preventiva do ex-presidente do banco Caja Madrid por gestão ruinosa.

Miguel Blesa, que se torna no primeiro responsável financeiro a ser detido desde a crise bancária no país, saíu hoje da prisão, sob liberdade condicional, depois de pagar uma fiança de 2,5 milhões de euros.

Em causa está um buraco de mais de 500 milhões de euros, na sequência de dois negócios ruinosos para o banco, a aquisição do norte-americano City National Bank em 2006, desaconselhada pelo Banco de Espanha, e a concessão de um crédito de alto risco à agência de viagens Marsans.

A porta-voz do governo conservador, Soraya Saenz de Santamaria, saudou a decisão da justiça, “como um facto positivo que mostra que a lei é aplicada no país”.

Para a oposição socialista, “trata-se do início de um processo para apurar responsabilidades. É lógico e razoável, e é assim que tem que ser, pois estamos num estado de direito e temos que dar respostas aos cidadãos face a um mal-estar crescente sobre estes temas”, afirmou Ramon Jauregui.

As acusações surgem quatro anos depois de Blesa abandonar as funções e um ano depois do estado ser obrigado a resgatar o banco Bankia que tinha entretanto absorvido a Caja Madrid.

Desde a crise bancária, que cerca de 100 altos responsáveis de bancos espanhóis foram constituídos arguidos em nove processos, sob acusações que vão da gestão ruinosa ao desvio de fundos.