Última hora

Última hora

Qual o paradeiro dos 30 mil desaparecidos do regime Videla?

Em leitura:

Qual o paradeiro dos 30 mil desaparecidos do regime Videla?

Tamanho do texto Aa Aa

A morte do ex-ditador argentino Jorge Rafael Videla, aos 87 anos provoca reação nas organizações dos direitos humanos.

Condenado à prisão perpétua por violações dos direitos humanos, incluindo o roubo de bebés de presos políticos em centros de tortura secretos da junta, Jorge Videla passou os últimos anos numa prisão nos arredores de Buenos Aires.

“Sentimo-nos tão aliviados, mas ao mesmo tempo pesados porque ele não falar ou contribuiu para que saibamos onde essas 30.000 pessoas que estamos procurando se econtram. Qual o paradeiro dos 400 netos que as Avós da Plaza de Mayo ainda procuram.”

Defensores dos direitos humanos estimam em cerca de 30.000 o número de “desaparecidos”, pessoas que foram raptadas ou assassinadas e cujo paradeiro permance um mistério.

Este período sangrento da história argentina começou em 1976 com o golpe Videla e outros dois líderes militares para derrubar Isabel Peron , viúva do ex-chefe de Juan Domingo Peron.