Última hora

Última hora

Apple defende estratégia fiscal no Senado norte-americano

Em leitura:

Apple defende estratégia fiscal no Senado norte-americano

Tamanho do texto Aa Aa

“Temos orgulho de ser uma empresa americana e de contribuir para a economia americana”: foi com estas palavras que o presidente da Apple, Tim Cook, respondeu, no senado, às acusações de evasão fiscal que pesam sobre a empresa

Segundo o relatório da comissão do Senado, a Apple usou as falhas do sistema para baixar os impostos.

Mas Tim Cook inverteu a situação: “Recomendamos uma drástica simplificação do código fiscal para as empresas. A reforma deveria ser neutra em termos de receitas, devia eliminar as despesas fiscais, baixar as taxas de imposição e implementar impostos razoáveis para os lucros obtidos no estrangeiro. Isso permitiria o livre fluxo de capital de volta para os Estados Unidos”.

Segundo o relatório do Senado, a Apple usou as empresas criadas em diversos países para poupar 74 mil milhões de dólares em impostos nos últimos quatro anos. Só pela filial irlandesa terão passado 30% dos lucros totais do grupo.

A Apple responde que pagou o que devia ao fisco norte-americano e que se trata de uma gestão eficaz dos recursos.

A própria Irlanda saiu em defesa do seu sistema fiscal, com o qual atraiu inúmeras multinacionais.