Última hora

Última hora

Irlanda nega ser "paraíso fiscal" da Apple

Em leitura:

Irlanda nega ser "paraíso fiscal" da Apple

Tamanho do texto Aa Aa

A Irlanda defende o seu sistema fiscal, depois da Apple ter sido acusada de usar o país para fugir aos impostos nos Estados Unidos.

Segundo o relatório do Senado norte-americano, o gigante tecnológico terá evitado pagar 74 mil milhões de dólares, o equivalente a 57 mil milhões de euros, de impostos nos últimos quatro anos, graças a empresas criadas noutros países. Um exemplo, é a filial irlandesa em Cork, por onde terão passado 30% dos lucros totais do grupo.

Para vice-primeiro-ministro irlandês, Eamon Gilmore, o sistema fiscal do seu país é “transparente”. Garante que “não é uma questão que surge a partir do sistema fiscal irlandês. São questões que surgem a partir do sistema de tributação de outras jurisdições e há uma dimensão internacional que precisa de ser combatida com robustos acordos internacionais. A Irlanda é a favor”.

O presidente executivo da Apple, Tim Cook, e outros dois dirigentes, vão ter de explicar a política fiscal do grupo ao Senado norte-americano.

Esta não é a primeira vez que o sistema fiscal da Irlanda é criticado, devido à taxa de 12,5% aplicada às empresas, e que permitiu a Dublin atrair muito investimento estrangeiro.