Última hora

Última hora

Líder da extrema-direita francesa considera suicídio na Notre-Dame de Paris "ato político"

Em leitura:

Líder da extrema-direita francesa considera suicídio na Notre-Dame de Paris "ato político"

Tamanho do texto Aa Aa

A líder da extrema direita francesa, Marine Le Pen considera que o suicídio do homem em protesto contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo é um ato político. Marine Le Pen disse mesmo que esta ação serve para acordar França.

O historiador de extrema-direita, Dominique Venner, suicidou-se esta terça-feira dentro da catedral de Notre Dame, em Paris. Horas antes tinha deixado uma mensagem no blogue pessoal a explicar que queria “despertar as mentes adormecidas” e a manifestar-se contra a imigração e o casamento gay.

O ministro francês do Interior, Manuel Valls, esteve na catedral e lembrou que a Notre Dame é um dos monumentos mais bonitos do país, o que torna este ato mais simbólico.

Poucas horas depois deste suicídio, que obrigou à evacuação da catedral, uma outra manifestação, mais pacífica e desta vez, a favor do casamento de pessoas do mesmo sexo, ocorreu noutro ponto simbólico da capital francesa. A praça da Bastilha foi palco vários concertos organizados por defensores dos direitos dos homossexuais.