Última hora

Última hora

Ucrânia: jornalistas manifestam-se em pleno conselho de ministros

Em leitura:

Ucrânia: jornalistas manifestam-se em pleno conselho de ministros

Tamanho do texto Aa Aa

O governo ucraniano volta a estar sob pressão da União Europeia, desta vez para que abra uma investigação à agressão de dois jornalistas, durante uma manifestação da oposição, no sábado.

Uma dezena de repórteres realizou hoje um protesto silencioso, durante o conselho de ministros em Kiev, para exigir uma ação do governo, que demorou vários dias a deter os responsáveis.

Um gesto repudiado pelo primeiro-ministro ucraniano, Mykola Azarov:

“O que é que é este espetáculo? Peço-lhes que não transformem este conselho de ministros num circo. Se são jornalistas quero que lhes retirem a acreditação, anotem os nomes de todos os que estão de pé e retirem a acreditação a cada um deles”.

Uma das jornalistas explica as razões do protesto:

“Com este gesto queremos mostrar ao governo que, em conjunto com os nossos colegas, exigimos uma investigação objetiva para que possam ser punidos os responsáveis pelo ataque e obstrução do trabalho dos nossos colegas Olha Snitsarchuk e Vladyslav Sodel.”

Em causa está a agressão dos dois profissionais durante uma manifestação da oposição no sábado, por um grupo de jovens, apontados por algumas fontes como partidários do governo. A polícia acabou por deter um dos suspeitos dias depois de ter deixado escapar os agressores.

O Comissário Europeu para o alargamento, Stefan Fule, declarou hoje estar preocupado com o respeito da liberdade de imprensa na Ucrânia, tendo exigido a abertura de um inquérito aos incidentes.