Última hora

Última hora

Turquia: reformar a educação

Em leitura:

Turquia: reformar a educação

Tamanho do texto Aa Aa

Refletindo um debate mais amplo, sobre a identidade da Turquia e do papel que a religião deve desempenhar na vida pública, há um crescente número de crianças que vão para escolas islâmicas. Mas como funcionam estas escolas?

A caminho do futuro

A Turquia é um país de maioria muçulmana e, de uma forma, ou de outra, o islamismo é incontornável na educação turca, de formas mais ou menos radicais. Hoje, com o projeto-lei de reforma da educação, pretende-se iniciar uma nova era.

Como resultado da nova reforma, muitas escolas foram transformadas em Imam hatips, instituições fundamentalistas islâmicas de ensino, e isso provocou um debate nacional sobre o papel da religião na educação, com preocupações seculares sobre os objetivos dessas escolas.

Escolas inteligentes

Seja a escolaridade fornecida em que contexto for – secular ou religioso – este é, certamente, um debate importante, mas a qualidade do ensino nas escolas também é.

Para enfrentar dececionantes rankings internacionais, o governo turco está disposto a introduzir mais tecnologia nas escolas. Vamos ver o que está a acontecer. Em 2012, Ancara lançou o “Movimento para aumentar as oportunidades e tecnologia”. O objetivo é integrar a tecnologia no sistema educacional público.

Igualdade de oportunidades

A igualdade de género – ou a falta dela – pode afetar os resultados do ensino nas meninas e, na Turquia, este foi um problema, especialmente nas zonas rurais.

Mas, graças aos projetos governamentais e de Organizações Não-governamentais a situação está a melhorar. A campanha “O pai manda-me para a escola” já construiu um dormitório perto de uma escola para as raparigas que moram longe.