Última hora

Última hora

Cannes: uma edição excecional e o reconhecimento do talento português

Em leitura:

Cannes: uma edição excecional e o reconhecimento do talento português

Tamanho do texto Aa Aa

Cannes rendeu-se à curta-metragem do português João Nicolau. Gambozinos arrecadou o prémio de melhor curta na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cinema. Uma iniciativa paralela ao certame que visa descobrir filmes de jovens autores e distinguir obras de realizadores experientes.

Experiência foi, aliás, o principal ingrediente presente na competição oficial.

“Passaram por aqui este ano grandes realizadores com grandes filmes e temáticas muito interessantes, como por exemplo, a homossexualidade” afirma Katalin Venczel, jornalista húngara.

“Esta edição superou todas as expectativas. Foi um festival ousado com a descoberta de novos talentos. A seleção oficial ficou marcada pelo sexo e pela violência, à semelhança do que aconteceu em edições anteriores” refere David del Rio, jornalista mexicano.

Cinema real e realidade ficcionada. Este ano houve de tudo em Cannes. O evento ficou marcado por roubos milionários e pelo mau tempo que na reta final acabou por dar tréguas.

“Foi fantástico apesar da chuva” acrescenta a jornalista paquistanesa, Anjali Bhushan.

“Foi um ano excecional. Tanto a nível de desfiles na passadeira vermelha como do júri e das estrelas. Um evento com muita emoção a cada minuto” conclui o fotógrafo francês, Alain Schoenauer.

Criado em 1946, este é um dos mais prestigiados festivais de cinema em todo o mundo. A edição deste ano não defraudou as expectativas que todos querem superar em 2014.