Última hora

Última hora

Beirute sob "rockets" depois de Hezbollah admitir participação no conflito sírio

Em leitura:

Beirute sob "rockets" depois de Hezbollah admitir participação no conflito sírio

Tamanho do texto Aa Aa

O risco de contágio do conflito sírio ao vizinho líbano aumenta, nas últimas horas, depois dos subúrbios de Beirute terem sido alvo de vários disparos de “rockets”, no Domingo.

Os engenhos atingiram um stand de automóveis e um prédio residencial no bairro de Shiyah, na zona controlada pelo Hezbollah, a sul da capital libanesa.

Os ataques, que provocaram apenas feridos, não foram reivindicados. O governo libanês fala de um “ato de sabotagem”.

Uma testemunha afirma, “foi por volta das seis da manhã, quando passei frente à igreja ouvi uma explosão e depois outra a cerca de 400 metros de distância”.

Os disparos de rockets atingiram igualmente a fronteira entre Israel e o Líbano, sem provocar vítimas. Tanto as autoridades israelitas, como os responsáveis do governo libanês e do Hezbollah exigiram a abertura de um inquérito aos disparos.

As ações ocorrem depois do líder do movimento xiita libanês, Hassan Nasrallah, ter admitido, ontem, em público, a implicação dos seus combatentes no conflito sírio, ao lado do regime de Bashar Al Assad.

Segundo os rebeldes sírios, que negam qualquer participação nos ataques de ontem, cerca de 79 combatentes do Hezbollah teriam sido mortos na intervenção do exército para reconquistar a cidade de Qusair, na fronteira entre a Síria e o Líbano.

No total mais de 140 membros do grupo xiita libanês teriam morrido em combate na Síria, desde o início do conflito, segundo as mesmas fontes.