Última hora

Última hora

Empresa de moeda virtual Liberty Reserve acusada de lavagem de 6.000 milhões de dólares

Em leitura:

Empresa de moeda virtual Liberty Reserve acusada de lavagem de 6.000 milhões de dólares

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades federais dos Estados Unidos acusaram a Liberty Reserve da lavagem de seis mil milhões de dólares através do seu sistema de moeda virtual.

O fundador da empresa, Arthur Budovsky, foi detido no aeroporto de Madrid, juntamente com o “número dois”, o marroquino Azzeddine El Amine. A operação internacional, que contou com a colaboração de 17 países, resultou ainda noutras três detenções, em Nova Iorque e na Costa Rica, onde estava sediada a empresa.

O procurador federal de Manhattan, Preet Bharara, explicou que “a Liberty Reserve foi criada de forma intencional e estruturada para facilitar atividades criminosas. Era, essencialmente, um banco do mercado negro. Operou deliberadamente de forma a atrair e ajudar criminosos, que pretendiam usar a moeda digital para violar a lei e lavar os ganhos dos seus crimes”.

A Liberty Reserve é ainda acusada de permitir que a sua plataforma fosse usada para facilitar crimes como o tráfico de drogas, roubo de identidades ou pornografia infantil.