Última hora

Última hora

Monte Evereste: a montanha dos mistérios

Em leitura:

Monte Evereste: a montanha dos mistérios

Tamanho do texto Aa Aa

A vinte e nove de maio de 1953 Edmund Hillary e Tenzing Norgay foram os primeiros a alcançar oficialmente o pico do Monte Evereste, o ponto mais alto do mundo, a 8850 metros de altitude.

Esta quarta-feira, o Nepal celebra os 60 anos da conquista pelas ruas de Kathmandu. Vários alpinistas que se aventuraram pelo Evereste ao longo destas seis décadas coroaram as estátuas de Hillary e Norgay com flores. O italiano Reinhold Messner foi um dos mais aclamados pelos nepaleses, por em 1978 ter sido o primeiro a escalar o monte sem a ajuda de garrafas de oxigénio, um feito inalcançável até então.

Calcula-se que cerca de 4000 alpinistas de todo o mundo chegaram ao ponto do Evereste nos últimos 60 anos. João Garcia foi o primeiro português a alcançar ao cume em 99.

Porém na comemoração do sexagenário, uma das dúvidas que predomina é se o neozelandês Hillary e o nepalês Norgay terão sido realmente os primeiros a lá chegar?

Há registo de várias expedições falhadas antes de 53, o próprio Norgay teria participado em algumas delas e várias pessoas perderam a vida. O caso mais misterioso é de Gregore Mallory e Andrew Irvine.

Os dois britânicos lideraram a primeira de três expedições britânicas em 1924, tentaram alcançar o cume, mas nunca mais regressaram. Muitos especialistas acreditam que os dois nunca terão chegado ao pico do Monte Evereste pela dificuldade da rota que seguiram. Contudo, em 1999, o corpo de Mallory foi encontrado a mais de 8000 mil metros de altitude. O britânico estava muito perto do pico mais alto e poderia ter perdido a vida na descida. Um mistério que dificilmente será decifrado.