Última hora

Última hora

Prémio Príncipe das Astúrias atribuído aos descobridores do bosão de Higgs

Em leitura:

Prémio Príncipe das Astúrias atribuído aos descobridores do bosão de Higgs

Tamanho do texto Aa Aa

Os descobridores do bosão de Higgs conquistaram o Prémio Príncipe das Astúrias de investigação científica e técnica 2013. O galardão, anunciado hoje, em Oviedo, Espanha, distinguiu os físicos Peter Higgs e François Englert e a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear, o CERN.

O júri sublinhou que “a descoberta do bosão de Higgs constitui um exemplo emblemático de como a Europa liderou um esforço colectivo para resolver um dos maiores enigmas da Física.”

Um enigma tão grande que o bosão de Higgs é conhecido fora da comunidade científica como “a partícula de Deus” porque contém a chave para explicar o universo.

O galardão é uma prenda para Peter Higgs, que hoje comemora 84 anos. O físico britânico foi dos primeiros a teorizar a existência do bosão (que foi batizado com o seu nome), assim como o belga François Englert e Robert Brout (já falecido).

Só ao fim de meio século de investigação, a 4 de Julho do ano passado, o CERN anunciou que a partícula mais procurada da história existe. O bosão de Higgs, teoricamente surgido logo após o Big Bang, é a chave que explica a origem da massa das outras partículas elementares. Sem ela, o Universo simplesmente não existiria tal como o conhecemos.

A entrega do prémio no valor de 50 mil euros e de uma escultura de Joan Miró está prevista para outubro, em Oviedo.