Última hora

Última hora

Erdogan apela à calma e Abdullah Gül garante que manifestantes "foram ouvidos"

Em leitura:

Erdogan apela à calma e Abdullah Gül garante que manifestantes "foram ouvidos"

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de quatro dias de manifestações e confrontos, na Turquia, esta segunda-feira, o primeiro-ministro veio apelar à calma. Recep Tayyip Erdogan, no aeroporto de Istambul, de partida para uma visita a Marrocos e ao norte de África, pediu ao povo turco que não se deixe “provocar” pelo que chama de “elementos extremistas”.

“Caros amigos que estão por detrás desta questão: os nossos serviços secretos estão a trabalhar sobre o assunto. Não precisamos de citar nomes. De qualquer forma, falemos com os respetivos chefes e, se necessário, acertaremos contas com eles. Estamos decididos a fazê-lo”, avisou Erdogan.

Durante a noite, as ruas de Istambul, mas também as de Ancara e as de outras cidades da Turquia foram alvo de novas manifestações e novos confrontos com as forças da ordem.

As manifestações, que começaram como protesto contra uma urbanização, em Istambul, têm vindo a transformar-se numa vaga de contestação ao governo de Erdogan, acusado de autoritarismo e de querer “islamizar” o país.

O presidente turco, Abdullah Gül, exortou, entretanto, o manifestantes a porem fim aos protestos, garantindo que “foram ouvidos.”