Última hora

Última hora

MuCEM de Marselha banhado pelo Mediterrâneo

Em leitura:

MuCEM de Marselha banhado pelo Mediterrâneo

Tamanho do texto Aa Aa

O MuCEM, o Museu das Civilizações da Europa e do Mediterrâneo abre portas em Marselha, a Capital Europeia da Cultura.

O edifício inclui um monumento histórico, o Fort Saint-Jean, com vista para o Porto Velho do século XII, e foi projetado pelo arquiteto Rudy Ricciotti: “Ser Mediterrâneo não é uma certidão de nascimento, mas um passaporte. E este lugar é como uma viagem.”

Possui um conjunto arquitectónico de 40 mil m2 e tem o Mediterrâneo como o ponto de partida histórico. O museu criou um novo espaço público e tenta promover o diálogo entre as sociedades.

Bruno Suzzarelli, Presidente MuCEM: “Atrás de mim, temos o que chamamos de Saquié, uma ferramenta hidráulica usada para tirar água na região do Nilo, no Egito. É interessante para explicar os problemas para regular a água na zona do Mediterrâneo.”

O espaço oferece um novo olhar sobre o Mar Mediterrâneo e foca diferentes culturas.

Zeev Gourarier, Comissário Geral para a Galeria Mediterrânica: “Aqui estamos sentados no Simpósio de Platão, onde os gregos falavam de cidadania, que era só para homens, mulheres e escravos eram excluídos. Em frente, na tela, algumas mulheres falam sobre o que significa ser cidadão hoje em dia.”

Juntamente com as exposições permanentes e temporárias, o museu vai sediar eventos culturais, como debates, filmes, concertos, espectaculos e workshops. O MuCEM abre ao público a 7 de junho e teve um orçamento de 216 milhões de euros.