Última hora

Última hora

República Checa continua inundada

Em leitura:

República Checa continua inundada

Tamanho do texto Aa Aa

Os bombeiros continuam a evacuar vilas e aldeias da República Checa. Aqui, em Krivousy, a 30 km ao norte de Praga, há quem recuse sair de casa, apesar da escassez de água potável.

A aldeia, de 350 habitantes, já tinha sofrido as cheias de 2002, mas, desta vez, os diques e comportas instalados evitaram uma subida demasiado rápida do rio Elba, como explica Jana Koberova, presidente da autarquia local: “As cheias, este ano, não foram tão devastadoras mas, mesmo assim, há aldeias que vão ficar isoladas até à próxima semana.”

O centro histórico de Praga, património mundial da Unesco, foi protegido das cheias graças às comportas instaladas nas margens do rio Moldova.

Menos sorte teve a aldeia de Zalezlice, que viu repetir-se o cenário de 2002. Eva Bittnerova, uma habitante, que teve de abandonar a sua casa, nem quer acreditar neste “déjà vu”: “Tivemos de reconstruir a nossa casa, depois das cheias de 2002. E agora temos de recomeçar tudo de novo!”

A primeira cheia de que os checos têm memória, data de 1997, quando 60 pessoas morreram. Em 2002, 17 perderam a vida, nas inundações que, este ano, já fizeram 7 vítimas mortais.