Última hora

Última hora

Saudita condenado a 30 vergastadas por esbofetear a mulher

Em leitura:

Saudita condenado a 30 vergastadas por esbofetear a mulher

Tamanho do texto Aa Aa

Um tribunal da província de Al Qatif, na Arábia Saudita, condenou um homem a dez dias de prisão e trinta vergastadas por ter dado uma bofetada à esposa. Um veredicto inédito, num país onde os direitos das mulheres são particularmente limitados.
Segundo o diário Al Watan, o tribunal ordenou também ao condenado que se inscreva num curso de “formação sobre vida conjugal”. Caso pretenda, a esposa poderá estar presente no momento em que o marido receber as vergastadas.

Apoiada por um certificado médico, a mulher de 35 anos apresentou uma queixa contra o marido, de 30 anos, depois de ter sido esbofeteada durante uma discussão conjugal, o que foi considerado pelo tribunal como uma violação da “sharia” (a lei islâmica). Durante o julgamento, o réu reconheceu a agressão, justificada por um alegado tratamento incorreto dos filhos do casal por parte da esposa.

A Arábia Saudita é um dos países mais conservadores do mundo muçulmano, regido por uma versão particularmente rigorosa do Islão. No reino saudita, as mulheres são discriminadas na legislação e na vida quotidiana, não sendo suficientemente protegidas contra a violência, incluindo familiar, denuncia a Amnistia Internacional no mais último relatório anual. A Fundação Rei Khaled, uma organização social, lançou nas últimas semanas uma campanha mediática para denunciar a violência contra as mulheres na monarquia conservadora.