Última hora

Última hora

Síria: Armas químicas utilizadas no conflito

Em leitura:

Síria: Armas químicas utilizadas no conflito

Tamanho do texto Aa Aa

Três anos após o início da guerra civil na Síria, confirma-se a utilização de armas químicas.
Os contestatários acusam o regime de Bashar al-Assad de usar químicos para combater a rebelião. As autoridades confirmaram, em julho de 2012, terem armas químicas mas negaram tê-las utilizado no conflito sírio, assegurando que serão apenas utilizadas caso a Síria seja atacada por forças estrangeiras.

Por seu lado as forças do regime acusam os rebeldes de utilizarem armas químicas, mostrando imagens de pessoas, alegadamente atacadas com químicos, pelos contestatários, num hospital de Aleppo, em março de 2013.

Esta terça-feira a França garantiu que foram usadas armas químicas na guerra civil na Síria. O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, denunciou o uso de gás sarin, por várias vezes, ao longo dos últimos dois anos.

“A conclusão do laboratório é clara: é gás sarin. A outra questão é se podemos rastrear quem o usou. No segundo caso, não há dúvida de que foi o regime e seus cúmplices. A linha foi cruzada, sem dúvida,” assegura Laurent Fabius.

Há cerca de um ano o presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, advertiu Bashar al-Assad depois do regime ter confirmado estar na posse de um arsenal de armas químicas.

“Tendo em conta as reservas de armas químicas do regime, vamos continuar a deixar claro a Assad e àqueles que o rodeiam que o mundo está vigilante e que eles serão responsabilizados pela comunidade internacional e pelos Estados Unidos, caso cometam o trágico erro de as usarem,” disse o presidente dos Estados Unidos.

Em relação ao relatório francês, de terça-feira, os norte-americanos mostraram alguma reserva. A Casa Branca espera reunir mais provas para depois responder ao governo sírio.

“Precisamos confirmar as evidências que temos. Precisamos ter provas antes de tomarmos qualquer decisão com base na violação clara do uso de armas químicas, pelo regime sírio”, afirmou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

As Nações Unidas acreditam que há indícios suficientes de que estão a ser utilizadas armas químicas na Síria. A informação foi avançada, terça-feira, pelo líder da comissão de inquérito para a Síria, Paulo Pinheiro. “Existem motivos razoáveis ​​para crer que foram usadas quantidades limitadas de produtos químicos tóxicos. Não foi possível, com base nas evidências disponíveis, determinar que agentes químicos foram utilizados, quais os sistemas de propagação ou quais autores,” informou.

A Síria é um dos sete países que não assinaram a Convenção de Armas Químicas, de 1997, que compromete o signatário a destruir os seus arsenais químicos.