Última hora

Última hora

25 anos a Pixar

Em leitura:

25 anos a Pixar

Tamanho do texto Aa Aa

Devotos do Nemo ou fanáticos do Wall-E estão a caminho de Amesterdão para visitar uma nova exposição comemorativa, intitulado “Pixar: 25 Anos de Animação.”

Com mais de 500 peças originais dos arquivos dos Estúdios de Animação da Pixar , na Califórnia, a mostra parece revelar as histórias por trás das histórias. A produção de todas as obras primas da Pixar começa muito cedo.

Belinda van Valkenburg, diretora de arte da Pixar: “Cada pequena coisa que tem de desenhada. Desde o copo mais pequeno à mais pequena maçaneta da porta.”

Dado o incrível nível de detalhe em cada filme, os ilustradores passam meses a pesquisar tudo o que acabam por desenhar.

Belinda van Valkenburg: “Para Ratatouille tivemos aulas de culinária, e estudamos panelas e frigideiras.”

“Para “À Procura de Nemo”, fomos para o Havai ter aulas de mergulho.”

“Em “Toy Story 3” foi menos divertido. Ficamos parados no meio de um depósito de lixo à noite. Com muito vento, e pó nos dentes… Então, sim, podemos ir muito longe.”

A exposição revela de onde as ideias iniciais para os clássicos animados da Pixar surgiram e inclui modelos originais, instalações de animação únicas, storyboards, esboços e figuras de barro.

Elyse Klaidman, diretora da Universidade Pixar e curadora do arquivo: “Nos nossos filmes, não se consegue nada de graça. Tudo tem de ser desenhado, tudo! Surge uma ideia, o diretor começa a falar sobre o que esta ideia deve ser e a equipa de artistas começa a dar vida visual aos personagens, aos mundos, à cor, à luz. É isso que de vê nesta exposição.”

A exposição comemorativa da Pixar tem vindo a percorrer a Europa, mas vai estar baseada em Amesterdão até 27 de outubro.