Última hora

Última hora

EUA: Milhares de norte-americanos recorrem a Banco Alimentar

Em leitura:

EUA: Milhares de norte-americanos recorrem a Banco Alimentar

Tamanho do texto Aa Aa

A economia dos Estados Unidos mostra sinais de expansão, embora modestos. De acordo com a Reserva Federal Norte-americana, os gastos dos consumidores registaram, no primeiro trimestre, a maior subida desde o final de 2010 e levaram o PIB a crescer 2,4 por cento.

Apesar dos bons sinais da economia dos Estados Unidos, a fome é uma realidade. Em Washington, desde 2007, o número de pessoas que recorre à ajuda alimentar, aumentou 25 por cento, de acordo com as instituições locais. Em alguns casos são famílias inteiras.

Uma voluntária afirma te vê “cada vez mais famílias. Vejo cada vez mais mulheres com os filhos. Antes via só homens… A senhora já tem uma sandes?”

“A comida que sobra vai para um abrigo de mulheres e são cada vez mais as mulheres que lá estão. As faixas etárias vão desde a adolescência à idade adulta,” informa outra voluntária.

O Banco Alimentar contra a Fome de Washington ajuda mais de 600 mil pessoas, por ano, 200 mil são crianças. A maioria dos donativos tem origem na indústria e na sociedade civil da região.

O diretor do Banco Alimentar contra a Fome de Washington, Dylan Menguy, afirma que “o Banco Alimentar é necessário na capital da nossa nação, porque nesta região há cerca de 680 mil pessoas que estão em risco de fome. Esta é uma das cidades mais ricas do país e do mundo e, no entanto, ainda temos pessoas que nos batem à porta pois precisam de ajuda para se alimentarem.”

O Banco Alimentar contra a Fome de Washington distribui cerca de 15 toneladas de alimentos por ano por várias instituições sociais como a sopa dos pobres, refúgios para sem-abrigo ou outras organizações.

“Todos os anos, mais de 18 mil voluntários ajudam a alimentar aqueles que têm fome, na capital do país mais rico do mundo. Estes voluntários colocam a compaixão e a solidariedade em primeiro lugar. É essa atitude que torna a América forte, quando o governo falha “.