Última hora

Última hora

Trabalhadores da saúde contra a troika

Em leitura:

Trabalhadores da saúde contra a troika

Tamanho do texto Aa Aa

Os trabalhadores da saúde de vários países europeus estão em Atenas para dizer não aos cortes no setor.

Aos gregos, que sofreram reduções importantes devido às políticas de austeridade, juntaram-se portugueses, franceses e belgas.

Os cortes na saúde, na Grécia, fizeram com que o número de ambulâncias na capital tenha sido reduzido para metade: “Pensamos que na Grécia estão a testar a destruição do setor da saúde, que vai ser aplicada ao resto da Europa. Em Portugal e em Espanha, a situação é a mesma”, diz um sindicalista francês que participou na manifestação.

O protesto, que juntou cerca de 1500 profissionais de saúde acontece poucos dias antes de mais uma visita da troika à Grécia.

Diz Kostas Tsikrikas, líder do sindicato grego da função pública: “Ouvimos o representante do FMI, Gerry Rice, dizer que a receita está errada. Nós, os trabalhadores, os sindicatos, sempre dissemos que estas políticas não só são penalizadoras para os trabalhadores, como representam uma estrada que não vai para lado nenhum”

O último relatório do FMI reconhece erros na gestão da crise grega, ao dizer que a reestruturação da dívida deveria ter sido feita logo em 2010. A Comissão Europeia já disse que discorda do que está nesse relatório.

Muitos temem que a próxima visita da troika sirva para impor novas medidas de austeridade.