Última hora

Última hora

Turquia: Erdoğan firme contra protestos

Em leitura:

Turquia: Erdoğan firme contra protestos

Tamanho do texto Aa Aa

Istambul acordou mais calma. No entanto, muitos manifestantes não arredam pé da praça Taksim, no centro da maior cidade da Turquia. O alvo de todas as críticas é o primeiro-ministro, Recep Tayyp Erdoğan.

Esperam uma solução pacífica para a recente onda de confrontos. Tudo começou com uma manifestação contra a destruição dos espaços verdes da praça. A situação degenerou nos maiores protestos dos últimos anos, pela defesa do laicismo do Estado e contra o partido no poder, o AKP. A turbulência dura há mais de uma semana.

Os últimos discursos de Erdogan estão a ser fortemente criticados “Ele fez dois anúncios, um no aeroporto e outro em casa. Foram ambos agressivos. Estava à espera que ele se retraísse um pouco, nem que fosse para acalmar a tensão, mas ele não fez isso”, diz um manifestante.

Diz outra opositira: “Ele está a dividir a população turca, porque o discurso dele é brutal, sem qualquer lógica e sem sentido político”.

Regressado de uma viagem ao norte de África, Erdoğan foi recebido no aeroporto por cerca de 10.000 apoiantes, uma prova de que a Turquia está cada vez mais dividida em duas.

No discurso, o primeiro-ministro disse que os protestos roçam a ilegalidade e têm de acabar. Recusou também voltar atrás com o projeto de obras na praça Taksim.

Em mais de uma semana de protestos, esta foi a primeira grande demonstração de apoio por parte os defensores de Erdoğan e do AKP.