Última hora

Última hora

Turquia: Polícia desaloja manifestantes da praça Taksim na véspera de encontro com Erdogan

Em leitura:

Turquia: Polícia desaloja manifestantes da praça Taksim na véspera de encontro com Erdogan

Tamanho do texto Aa Aa

Esta terça-feira marca o dia em que a polícia turca tomou, pela força, o controlo da Praça Taksim, em Istambul.

Pela manhã, com granadas de gás lacrimogéneo e canhões de água, centenas de agentes desalojaram os manifestantes que acampavam na praça e, com o auxílio de bulldozers, desmantelaram as barricadas que tinham erguido.

Alguns manifestantes, atacaram os veículos da polícia com cocktails molotov.

Há uma semana que as forças da ordem não se deslocavam a Taksim. Esta aparição em força surge na véspera de um anunciado encontro entre o primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, e representantes do movimento de contestação.

A polícia de choque tentou igualmente entrar no Parque Gezi, mas saiu ao fim de 10 minutos, perante a cadeia humana formada pelos manifestantes. Com megafones, os agentes pediram aos militantes que se retirassem do parque.

Segundo o governador Istambul, o objetivo da polícia, era, apenas, retirar bandeirolas e faixas que se encontravam sobre a estátua de Ataturk, o fundador da Turquia moderna.

Mas a ação das forças policiais foi igualmente visível no Tribunal Cagalyan, onde 73 advogados, que manifestavam contra a intervenção policial da manhã, na praça Taksim, foram detidos.

Os advogados são, regularmente, alvo das autoridades turcas e são detidos. É o caso dos que defendem membros de organizações clandestinas curdas, por exemplo.