Última hora

Última hora

Ahmad Salamatian: "A classe média iraniana será uma aliada do Ocidente"

Em leitura:

Ahmad Salamatian: "A classe média iraniana será uma aliada do Ocidente"

Tamanho do texto Aa Aa

Hassan Rouhani, o candidato moderado apoiado pelos reformistas, venceu estas eleições que levaram muitos iranianos às urnas, na sexta-feira.

Vamos falar com Ahmad Salamatian, especialista em temas iranianos, sobre esta vitória e o impacto que vai ter.

Maria Sarsalari, euronews:

Tendo em conta o pessimismo e a falta de confiança que se criaram depois das eleições de 2009 e dos rumores de umas eleições supostamente enquadradas pelo governo, acha que este era o resultado previsto?

Ahmad Salamatian:

Até três ou quatro dias antes da votação, houve uma vigilância apertada. O dispositivo de segurança era tão grande que não deixava os políticos brilhar.

Foi durante os debates na televisão, em particular no segundo debate, que o espírito da discussão política começou a sair do estúdio de televisão e a instalar-se na sociedade.

Esse espírito começou a prevalecer sobre a segurança. O público iraniano tinha sede desse tipo de debate.

Na cena política atual, tanto os conservadores como os reformistas ou os moderados são obrigados a tomar uma postura política, em vez de uma postura securitária. Isso significa procurar a interação, a compreensão mútua.

Nas atuais circunstâncias no Irão, a sociedade precisa de entendimento e a classe média sente essa necessidade também. Nessa linha, os líderes do movimento reformista, como Khatami ou Rafsanjani, agiram muito bem.

O regime começa a adotar uma postura mais realista sobre si mesmo e sobre os temas internacionais. Ao contrário de 2009, não penso que o regime vá rejeitar a oferta de entendimento mútuo feita pela maioria.

Maria Sarsalari, euronews:

O parlamento, que se mantém eleito para os próximos dois anos, é dominado pelos conservadores. Não será fácil para Rouhani trabalhar com ele…

Ahmad Salamatian:

No quadro da interação política, o parlamento não vai ter outra saída a não ser ouvir a sociedade, que se exprimiu de forma esmagadora.

Não penso que o parlamento vá criar problemas ao vencedor destas eleições. Se isso acontecer, não acho que o vencedor queira desafiar outras instituições logo no início do mandato.

Maria Sarsalari, euronews:

Rohani foi, durante vários anos, o principal negociador do programa nuclear iraniano. Nos debates eleitorais criticou o rival conservador
Saeed Jalili. Podemos esperar, com Rohani, uma mudança nas relações entre o Irão e o Ocidente?

Ahmad Salamatian:

É algo que envia uma mensagem poderosa sobre o consenso no Irão. Os negociadores internacionais estiveram sempre à procura de alguém, do lado iraniano, capaz de diálogo e interação e que fosse capaz de passar esta mensagem ao resto do mundo.

A minha esperança é que a Comunidade Internacional em geral, mais especificamente os Estados Unidos e a Europa, percebam que há uma oportunidade de diálogo com o Irão, no sentido de resolver o problema nuclear.

Espero também que a classe dirigente do Irão pare de usar este tema como um refém, para bloquear a política doméstica.

Se a comunidade internacional quiser usar a posição do Irão para estabilizar esta região do Médio Oriente, isso terá o apoio dos iranianos. A classe média iraniana será um poderoso aliado geopolítico do mundo exterior.