Última hora

Em leitura:

Egito corta relações diplomáticas com a Síria


Egipto

Egito corta relações diplomáticas com a Síria

O Presidente egípcio mandou encerrar a embaixada da Síria no Cairo, distanciando-se assim do regime de Bashar al-Assad.

O anúcio foi feito perante centenas de islamistas, reunidos num estádio do Cairo, em apoio da Síria.

Nas ruas do Cairo, as opiniões dividem-se. Os egípcios estão de acordo, os sírios contestam:

“A decisão de encerrar a embaixada é muito importante, mostra ao povo sírio que estamos a apoiá-los”, diz um egípcio.

Um sírio discorda:

“A decisão de fechar a Embaixada é um crime contra o povo sírio, porque dessa forma, o Presidente Morsi está a assassinar o povo sírio, ele não está a ajudar-nos”.

Também o encarregado de negócios egípcio em Danasco foi mandado regressar ao Cairo.

Horas depois do anúncio, a decisão foi executada, perante alguns protestos de sírios, residentes no Cairo, e de egípcios.

O presidente Morsi justificou este corte de relações, com a necessidade de mostrar solidariedade para com os países árabes e ocidentais que apoiam os opositores ao regime de Damasco.

A Síria considera esta decisão de irresponsável.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

tradução automática

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Novo presidente iraniano pronto a "preservar o orgulho e os interesses nacionais"