Última hora

Última hora

Erdogan apela a apoiantes a "não cairem na conspiração"

Em leitura:

Erdogan apela a apoiantes a "não cairem na conspiração"

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro turco multiplica os banhos de multidão depois de duas semanas de protestos em várias cidades do país.

Depois de ontem em Ancara, Recep Tayyp Erdogan discursou hoje nos arredores de Istambul, frente a cerca de quatrocentos mil apoiantes – “a verdadeira Turquia”, segundo o político que voltou a falar de conspiração internacional.

“Por favor não caiam na conspiração, eu continuo a trabalhar para vocês. O parque Gezi e a praça Taksim foram limpos e agora foram decorados com flores. A praça foi decorada por verdadeiros ambientalistas”, ironizou o primeiro-ministro que prometeu investigar a ação da polícia, mas também dos provocadores das redes sociais e mesmo dos hotéis que acolheram os manifestantes.

Um discurso duro e inflexível, aplaudido pelos seus apoiantes.

“O nosso primeiro ministro não tem nada a ver com esta situação que não tem nada a ver com este parque. O nosso governo plantou 70 mil árvores mas ninguém fala disso. Este movimento de protesto não tem nada a ver com o parque Gezi”, afirma uma apoiante.

Outro afirma, “Nós estamos a seu lado há 10, 20 anos, mesmo quando foi detido quando era presidente da câmara de Istambul. Ele é e sempre será o nosso mestre. E estamos orgulhosos dele, estaremos sempre a seu lado”.

Tayyp Erdogan faz assim do braço de ferro com os manifestantes, um argumento para reforçar o apoio do seu campo. Uma estratégia arriscada, que dividiu hoje Istambul entre os militantes do AKP e os ativistas do parque Gezi, gaseados e impedidos de manifestar pela polícia, que bloqueou durante todo o dia os acessos à praça Taksim na cidade.