Última hora

Última hora

Os desafios do design sustentável

Em leitura:

Os desafios do design sustentável

Tamanho do texto Aa Aa

Generation Ípsilon viajou até à capital checa para falar de design sustentável, uma abordagem que aposta no uso de recursos renováveis e favorece a proximidade entre as pessoas e a natureza.

Para Krystina Malovana, trata-se de um verdadeiro desafio.

Kristyna Malovana:

“A ideia de design sustentável é criar produtos que possam ser usados e reutilizados. Mas às vezes é difícil fazer produtos amigos do ambiente. Há um aspeto paradoxal, no sentido em que criar um produto ecológico pode ter um impacto negativo no ambiente.”

E se a solução para resolver o paradoxo estivesse na utilização de materiais inteligentes? Kristyna Malovana e o sócio, Zbinek Krulich, participaram recentemente num workshop sobre materiais inovadores. O curso decorreu em Praga na primeira biblioteca de materiais da República Checa, a Happy Materials. Thomas Hendrych, um dos sócios da empresa, animou o workshop. Na plateia, dezenas jovens designers e arquitetos.

Thomas Hendrych:

“Os jovens não conhecem bem os novos materiais mas é um tópico importante porque a forma como os materiais são criados e fabricados tem um impacto no ambiente e no processo de reciclagem.”

A Happy Materials faz parte de uma rede de empresas e institutos que promovem o uso de materiais avançados e a inovação no design.

O projeto apoiado pelo programa cultural da Comissão Europeia integra vários países.

Thomas Hendrych:

“Os participantes podem comparar materiais de de diferentes países, Espanha, Inglaterra ou Dinamarca e adquirir novos conhecimentos. Esta dimensão europeia abre novos horizontes.”

Tomas Vacek tem várias obras expostas no Centro de Design Contemporâneo de Praga. O designer checo de 30 anos trabalha com materiais naturais, madeira, cana ou vidro, mas usa cada vez mais materiais avançados, sobretudo na área da iluminação.

Tomas Vacek:

“Atualmente estou a trabalhar com um material novo, uma espécie de betão translúcido. E recentemente fui contactado por uma companhia para renovar o design duma scooter. Tive a ideia de utilizar fósforo polido para que a scooter seja vista à noite e, ao mesmo tempo, dê a impressão que está voar.”

No design, estética e função andam de braços dados mas para a nova geração a equação tornou-se mais complexa devido aos problemas ambientais.

Zbinek Krulich:

“Cabe ao designer incluir a dimensão sustentável nos seus projetos porque os clientes não o pedem, pedem apenas um bom produto.”