Última hora

Última hora

Brasil: Dilma elogia protestos mas prefeito de São Paulo rejeita baixar tarifas de transportes

Em leitura:

Brasil: Dilma elogia protestos mas prefeito de São Paulo rejeita baixar tarifas de transportes

Tamanho do texto Aa Aa

A vaga de protestos no Brasil entra no sexto dia consecutivo, depois de mais uma noite de confrontos e com uma nova manifestação marcada para esta terça-feira, em São Paulo, pelo “movimento passe livre”.

O MPL afirma que a mobilização vai continuar até que o governo decida baixar a tarifa dos transportes públicos.

“Não se trata de uma primavera árabe. O nosso problema é muito mais fácil de resolver, mas de forma inteligente e civilizada. Partir coisas na rua não é a melhor solução”, afirma um residente do Rio.

Outra afirma que, “os acontecimentos atuais são apenas uma máscara que não mostra a realidade, mas é uma chamada de atenção e é preciso que as pessoas saibam o que se passa no país”.

Um protesto cada vez mais político, sem ser politizado, depois de centenas de milhares de pessoas se terem manifestado, ontem, em doze cidades, com palavras de ordem contra a classe política e a repressão policial, exigindo mais transparência, menos corrupção e mais combate à criminalidade.

Os manifestantes tentaram invadir a Assembleia legislativa em São Paulo e ocuparam mesmo a cúpula do Congresso em Brasília.

A presidente Dilma Roussef reconheceu hoje a legitimidade dos protestos, quando os manifestantes convidaram o presidente da câmara de São Paulo para uma reunião na quarta-feira.

Fernando Hadad reafirmou hoje a impossibilidade de reduzir as tarifas dos transportes, afirmando que esta decisão poderia ter um impacto nos orçamentos da saúde e da educação.