Última hora

Última hora

"A Bulgária vai mergulhar num mar de chamas"

Em leitura:

"A Bulgária vai mergulhar num mar de chamas"

Tamanho do texto Aa Aa

A Bulgária viveu o oitavo dia consecutivo de protestos. As manifestações avançaram pelas ruas de Sófia, mas também de Plovdiv e Varna. Em causa está um governo que acabou de se instalar – foi eleito há apenas três semanas. Mas as acusações de oligarquia política, de falta de moralidade, de corrupção, estão a ameaçar a sua sobrevivência.

Nas ruas da capital, diz-se que o protesto é motivado pelo “que está a acontecer na Bulgária – tivemos vários governos e vários partidos. E há uma máfia por trás deles que nunca muda.” “A Bulgária está a viver uma revolução. Os governantes deviam aperceber-se disso. Se não mudarem as coisas, o país vai mergulhar num mar de chamas”, (vaticinava outro manifestante.)

O descrédito do executivo foi inflamado pela nomeação de Delyan Peevski como responsável pela segurança nacional. O deputado de 32 anos, sem qualquer experiência na área, é herdeiro de um poderoso império mediático. Os opositores dizem que Peevski símboliza o poder desmesurado do setor privado na Bulgária.