Última hora

Última hora

"Cura gay" inflama protestos em São Paulo

Em leitura:

"Cura gay" inflama protestos em São Paulo

Tamanho do texto Aa Aa

Um protesto entre os protestos que mobilizam nos últimos dias centenas de milhares de manifestantes no Brasil.

Cerca de mil ativistas da causa homossexual, convocados pelas redes sociais e pelo conselho federal de psicologia concentraram-se ontem, no centro de São Paulo, para contestar o projeto-lei conhecido como “cura gay”.

A proposta aprovada, na terça-feira, pela comissão de direitos humanos do parlamento, liderada pelo deputado e pastor evangélico, Marco Feliciano, prevê que os psicólogos possam recorrer a tratamentos para curar a homossexualidade.

O presidente do parlamento brasileiro, Henrique Eduardo Alves, considerou ontem o projeto-lei “absurdo”, reconhecendo ter sido um “erro” aprovar a proposta, em plena vaga de protestos no país.

O projeto-lei, que revoga duas resoluções do parlamento que aboliram a classificação da homossexualidade como uma doença, terá ainda que ser adoptado por outras duas comissões da câmara dos deputados (Segurança Social e Constituição e Justiça), antes de ser debatida em plenário.